Quem Somos

Nosso Salão

Quem Somos

Servimos Almoço:
Super Buffet com Grill, sistema de peso.
Diariamente após as 11:30h

(Obs: Segundas-feiras fechamento ás 15h – Descanso semanal).

Domingo: só almoço:
Abertos até ás 17 horas

No jantar:
Rodízio de pizzas, massas e frango.

De terça-feira á Sábado:
após as 19:00h.

Reservas Aqui!

Nossa História


Em dezembro de 1981, trabalhava em uma Cantina na cidade de Campinas, Tratoria Tevere no Cambuí, o bairro nobre da Cidade. Toca o telefone, era meu Padrinho David Pedro (na verdade sem esse homem esta história não estaria nem mesmo sendo escrita agora). “Surgiu um ponto aqui em São Paulo, perto de uma estação do metrô Conceição. Você gostaria de ficar com o ponto para montar alguma coisa?” Nem pensei duas vezes e respondi que sim e perguntei o que fazer para fechar o negócio. Para minha surpresa, ele respondeu: “Não precisa de mais nada, eu tinha certeza que você iria topar e já fechei o negócio antes mesmo de te consultar”.

Nasceu naquele dia o Fiorino, na verdade a idéia original era de uma lanchonete ou de um pequeno restaurante. São Paulo naquela época foi “inundada” por um novo tipo de comércio, o de restaurantes e pizzarias do Grupo Sérgio. Novamente orientado por meu Padrinho fomos até o Brás onde tem um escritório de Contabilidade dos mais antigos e tradicionais de São Paulo, a Orsa Serviços Contábeis, falar com outra pessoa que sem o apoio, a orientação e confiança que foram depositados em mim, esta história não estaria sendo escrita. Era o Sr. Alberto dos Santos que mantinha um alto grau de relacionamento com o Sr. Sérgio della Crocci, presidente do Grupo Sérgio. Lá estava eu, com 25 anos de idade, uma grande bagagem como cozinheiro, profissão que me manteve durante os 7 anos que morei na Itália enquanto cursei a Faculdade de Engenharia em Bolonha,aonde trabalhando com um dos maiores chefes de cozinha da

Emília Romanha, Gianni Alberghini, consegui assimilar grande parte de seus conhecimentos. Com pouquíssimo capital, ainda trabalhando no restaurante de Campinas, mas com uma grande vontade de trabalhar, vencer e colocar em prática boa parte do que tinha aprendido na Itália. Fiquei alguns dias em companhia do Sr. Sergio andando por São Paulo, onde ele tinha sociedade em mais de 50 pizzarias, casas de esfiha, etc. Foi um período de aprendizado para mim e de análise para ele que, ao final daqueles dias, me propôs uma sociedade no ponto que eu tinha próximo ao metrô.

Em 7 de Abril de 1982 às 14:00 hs. o Grupo Sérgio Conceição inaugurou, fazendo pastéis e vendendo galeto, pizzas, etc. Evoluindo depois para Rodízio de Carne e Self-service. Lembro-me que, perguntando ao Sr. Sergio qual seria a previsão do desempenho da casa, ele dizia que não esperasse muito e chegaria talvez perto de casas como as que tinham tamanho pequeno. Um ano depois era a casa do Grupo Sérgio que mais faturava por metro quadrado de toda a rede e nosso faturamento era superior a casas de tamanho médio e localizadas em pontos nobres.

Sem a orientação, confiança e sabedoria do Sr. Sérgio della Crocci esta história também não estaria sendo escrita agora. Alguns anos depois a sociedade foi se modificando. O Grupo Sérgio Conceição agora era Fiorino, nome escolhido pela minha ascendência italiana e por ser o nome de uma moeda que circulava na região de Florença. O Fiorino nasceu na Av. Eng. Armando Arruda Pereira, depois de 7 anos se expandiu para a Pça. Barão de Japurá, onde ganhou um salão novo, estacionamento próprio, playground, mini zôo e novos sanitários.

Desde 1982 no bairro e atendendo uma enorme clientela que vem de todos os cantos de São Paulo e até do Interior para conferir o nosso padrão de qualidade. Nossos fornecedores, em sua grande maioria, nos acompanham desde o inicio. Nossas receitas e tempero caseiro se mantêm inalterados e longe de modismos (nosso galeto tem o mesmo sabor do primeiro assado em abril de 1982).

Sempre com uma média de 43 funcionários com muitos desde inaugurada: Zé Rosa, C.A., Paiva, Mineiro, Mires, Maguila, Catinha, Archimedes, Cabecinha, Picólino, Josué, Toninho, Juca, Sérgio, Salvador, Tomáz, e muitos outros como o Gelso, Zé Galinha, Everaldo, Carlinhos, Serra, Bastião, que não estão mais com a gente. Sem esses nomes e sem o trabalho duro de nossos funcionários, esta história também não estaria sendo escrita.

Agora é agradecer a Deus (sem Ele, e sem a Luz, Força e Sabedoria que Ele empresta, essa historia não teria nem começado) por ter-nos abençoado com a feliz idéia do Rodízio de Pizza e por ter mantido todo o nosso quadro de funcionários. Passamos por vários planos de governo, trocamos de moeda 4 vezes, crises no câmbio, na economia, até crises internas, mas Ele sempre nos abençoou. Obrigado!

No norte da Itália durante todo o período medieval circulavam moedas Bizantinas e Árabes para o pagamento de grandes transações comerciais.
Cidades Italianas como Florença na época eram consideradas nações independentes.
Somente em 1861 é fundado o Reino da Itália por tropas do guerrilheiro republicano Giuseppe Garibaldi. Sentiram então a necessidade de cunhar suas próprias moedas de ouro.
Em Florença se cunhou o FIORINO, pesava 3,5 gr. de ouro fino tinha sempre o mesmo peso e a maior pureza, foi assim sempre aceita e considerada valiosíssima em toda a Europa.
Portanto de 1200 até 1861 quando a Itália adotou a Lira como moeda nacional, o FIORINO foi considerada moeda forte por mais de 500 anos.

“Se Deus é por nós, quem será contra nós?”